Caminhada parte II – “Seguindo O Aqueduto das Águas Livres em Belas” – Serra da Carregueira

belas

Depois do magnífico passeio sobre o Aqueduto das Águas Livres em Lisboa, no passado dia 18 de Março, é altura de continuarmos no caminho em busca da sua origem.

 

Data: 8 de Abril de 2017

Horário: 15:30h

Início da caminhada: 15:45h

Distância: 9 km (moderado)

Previsão do tempo de caminhada entre 2:30 a 3h

O Percurso é circular com cerca de 9 kms.

Terá como pontos de interesse;

– Alguns ramais do Aqueduto das aguas Livres – ramal da mata de Belas

– Quinta da Fonteireira

– Ribeira de Belas

– Ribeira do Jamor

– Quinta do Bonjardim

– Estrada Romana

– Moinhos de Belas

Ponto de encontro:

Em frente ao Cemitério de Belas (GPS: 38°46’56.90″N; 9°15’50.55″W)

Mapa: https://goo.gl/maps/thBtuhMRVA52

O Aqueduto das Águas Livres (AAL) é uma das maiores obras de engenharia e arquitectura executadas em território nacional. Foi construído no sec: XVIII com a finalidade de abastecer a cidade de Lisboa de água potável. Destacam-se o troço sobre a Ribeira de Alcântara, a Mãe de Água, nas Amoreiras, como marcas inconfundíveis dentro de Lisboa.

A sua construção foi determinada por alvará régio de 1731, sendo encarregue dos trabalhos o arquitecto António Canevari, que rapidamente foi substituído por Manuel da Maia. Em 1763 as obras passaram a ser dirigidas

por Custódio Vieira. No final da década de 40, já sob a direcção de Carlos Mardel, a água chegou finalmente a Lisboa, construindo-se então o arco comemorativo das Amoreiras.

No entanto, esta imensa obra de abastecimento à capital ficou muito a dever às áreas limítrofes a Norte, onde se realizaram várias captações de água. O aqueduto, englobando os aquedutos subsidiários e emissores, bem como os ramais e as galerias urbanas tem cerca de 58Kms.

A abundância de águas subterrâneas em Belas motivou a construção de diversas captações e quatro ramais de ligação ao principal, sendo a partir da mítica fonte da Água Livre, que o sistema adquiriu o seu nome.

Propõe-se assim, nesta caminhada, a descoberta da Serra da Carregueira, da sua mata e de alguns vestígios do AAL acompanhando o deambular do aqueduto e a sua relação com os vários propriedades agrícolas e de recreio.

 Recomendações

Essencial:

Calçado (ténis ou botas de caminhada)
Roupa adequada para caminhar
Chapéu
Água (1,5l mínimo)
Protector solar
Fruta e barras energéticas ou frutos secos.

É da responsabilidade do inscrito a avaliação da sua condição fisica para este evento.

IMPORTANTE: Em caminhadas é importante garantir as 3 funções básicas: hidratar; fornecer energia e manter a temperatura corporal.

Clima

Previsão de 25º C. Sol. Aconselha-se reserva adicional de água.

Atenção ao arrefecimento abrupto ao final da tarde.

Preço da actividade

Crianças até aos 13 anos (acompanhadas por adultos) – gratuito
Adultos: 10€
Membros da Lycos, IMIF, Toastmasters e Rotary: 8€
Participantes que efecturama o passeio de dia 18 de Março no Aqueduto de Lisboa: 8€

 Preço inclui:

Acompanhamento por guias credenciados.
Seguro de acidentes pessoais

Guia

Florbela Ferreira. É a guia principal da Lycos para caminhadas e peregrinações. Arquitecta. Dedica-se nos seus tempos livres às caminhadas na natureza. Guia certificada para os caminhos de Fátima e de Santiago, tem sido uma das responsáveis da marcação do caminho central português de Santiago e do caminho do Tejo para Fátima. Coordenou e guiou dezenas de peregrinações e de de caminhadas.

Inscrições

http://goo.gl/forms/0rEzjOBvvj6OcBLp1

A sua inscrição é obrigatória, para que possamos activar o seu seguro. Se inscrever mais de uma pessoa deve enviar os dados de cada participante.

Limite de 35 participantes.

 Pagamento

No acto da inscrição deverá transferir 100% do valor para

Conta: CGD em nome de Lycos
NIB 003521680002063073022
Colocar na descrição da transferência o nome do participante
Enviar comprovativo para associacao.lycos@gmail.com

Aceitam-se cancelamentos até ao dia  6 de Abril, com devolução total.

02. Abril 2017 by Luis Moniz
Categories: caminhos de excelência | Tags: , , | Leave a comment

Leave a Reply

Required fields are marked *


%d bloggers like this: